Coréias definem projetos de ajuda para o Norte

Países acertam criação de área de pesca comum e serviço de trem a partir de 11 de dezembro

Reuters,

16 de novembro de 2007 | 12h58

Os primeiros-ministros das Coréias do Sul e do Norte definiram nesta sexta-feira, 16, projetos mais abrangentes para ajudar a fraca economia norte-coreana. Eles também decidiram iniciar um serviço de trens de carga a partir de 11 de dezembro, numa ferrovia que passou mais de meio século inutilizada depois da Guerra da Coréia (1950-53). "Os acordos criaram o cenário para que nossas companhias ampliem os investimentos no Norte e contribuam substancialmente para seu desenvolvimento econômico", disse nota divulgada pelo gabinete do primeiro-ministro sul-coreano, Han Duck-soo. Em 2008, a Coréia do Sul vai ajudar na reforma do trecho rodoviário de 170 quilômetros entre Pyongyang, a capital do Norte, e Kaesong, na fronteira, cerca de 70 quilômetros a noroeste de Seul. Também haverá obras na linha férrea que liga Kaesong à fronteira da Coréia do Norte com a China. A estrada e a ferrovia no futuro serão usadas para o transporte de cargas entre os dois países, a um custo bem inferior ao de quando o intercâmbio começou a crescer, segundo o governo do Sul. As duas Coréias também vão trabalhar na criação de uma zona conjunta para pesca e navegação a partir do ano que vem no oeste da península, local onde no passado já houve vários confrontos navais letais por causa de disputas territoriais. A inauguração da linha ferroviária simbolizaria o progresso na reconciliação entre os dois países, e marca um dos primeiros resultados tangíveis do encontro realizado no mês passado entre o presidente sul-coreano Roh Môo-hyun e o líder da Coréia do Norte, Kim Jong Il, em Pyongyang.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do NorteCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.