Efe
Efe

Coreias têm 'oportunidade' de dialogar, diz presidente sul-coreano

Entretanto, país responderá 'com firmeza' a provocações do norte, disse Lee Myung-bak em discurso

BBC Brasil, BBC

02 de janeiro de 2012 | 07h12

SEUL - As duas Coreias estão vivendo um "ponto de inflexão", com "janelas de oportunidade" para o diálogo, afirmou nesta segunda-feira o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak em um discurso de Ano Novo.

Entretanto, afirmou, seu país responderá "com firmeza" a eventuais provocações do seu vizinho do norte, que desde a morte de Kim Jong-Il se encontra sob a liderança de seu filho, Kim Jong-un.

"A situação na península coreana está agora entrando em um ponto de inflexão", afirmou Lee Myung-bak, no discurso transmitido pela TV.

"Haverá uma nova oportunidade em meio a mudanças e incertezas."

Como nunca assinaram um acordo de paz desde a Guerra da Coreia, nos anos 1950, os dois países tecnicamente continuam em conflito.

Lee Myung-bak afirmou que a Coreia do Sul "mantém completa segurança nacional enquanto houver possibilidade de provocação pelo Norte".

O presidente afirmou que o principal objetivo de seu país é chegar ao equilíbrio na península - principalmente através da contenção das ambições nucleares da Coreia do Norte.

Ele propôs a retomada de negociações para prover ajuda humanitária ao vizinho em troca de desarmamento.

Manutenção do regime

Na sexta-feira, a poderosa Comissão de Defesa norte-coreana declarou que a comunidade internacional não deve esperar mudança nas linhas gerais do regime a partir da nova liderança.

Kim Jong-un assumiu o poder após a morte de seu pai, Kim Jong-Il, no dia 17 de dezembro, aos 69 anos.

As autoridades de Pyongyang se ressentiram com seus vizinhos do sul por não enviar uma delegação formal para prestar homenagem a Kim Jong-Il.

Em sua mensagem de Ano Novo, Kim Jong-un pediu aos norte-coreanos que se convertam em "escudos humanos" para defender o regime.

De acordo com a imprensa estatal, ele passou o primeiro dia do ano em visita a uma divisão de tanques do exército norte-coreano.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.