Coreias vão realizar primeiro diálogo militar em dois anos

Seul propõe conversas com Pyongyang sobre naufrágio de navio na fronteira marítima dos países

Efe

29 de setembro de 2010 | 04h15

SEUL - As duas Coreias vão realizar nesta quinta-feira, 29, suas primeiras conversas militares em dois anos, nas quais espera-se que, entre outras questões, seja abordado o afundamento da embarcação sul-coreana Cheonan, em março, informaram fontes oficiais.

Segundo fontes do Ministério sul-coreano de Defesa citadas pela agência local Yonhap, o encontro acontecerá na zona desmilitarizada e fronteiriça de Panmunjom, e tratará questões colocadas pelas duas partes.

A Coreia do Sul propôs na semana passada a seus vizinhos do Norte a realização de conversas militares para falar sobre o afundamento do Cheonan, supostamente após ser atingido por um torpedo norte-coreano, o que é negado por Pyongyang.

O episódio, que causou a morte de 46 marinheiros sul-coreanos, fez disparar a tensão na península coreana.

A proposta de Seul aconteceu depois que o governo norte-coreano propôs no último dia 16 a realização de reuniões para discutir as disputas fronteiriças com o Sul no Mar Amarelo (Mar Ocidental). O último encontro militar de trabalho entre as duas Coreias foi realizado em outubro de 2008.

A reunião militar desta quinta acontecerá depois que Kim Jong-un, filho mais novo do líder norte-coreano, Kim Jong-il, foi indicado na terça-feira como seu sucessor à frente do regime após ser nomeado general de quatro estrelas do exército e receber dois importantes cargos no Partido dos Trabalhadores do país.

As duas Coreias se encontram tecnicamente em conflito desde que a Guerra da Coreia (1950-1953) terminou com um armistício em vez de um tratado de paz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.