Coronel admite ter forjado ''baixas'' das Farc

A Justiça colombiana condenou ontem o coronel Luis Fernando Borja a 21 anos de prisão, depois que ele admitiu ter matado 57 civis e, em seguida, colocado uniformes de guerrilheiros das Farc nos cadáveres. A maior parte das falsificações teriam ocorrido durante o mandato do ex-presidente Álvaro Uribe (foto), de 2002 a 2010. O caso ficou conhecido como "os falsos positivos" e a Justiça investiga 1.400 mortes nessas circunstâncias.

, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.