Coronel fala em 1.800 mortos nas Filipinas

O tenente-coronel Raul Farnacio, o militar de mais alta patente na cena do deslizamento ocorrido nas Filipinas, estimou o número de mortes em cerca de 1.800 - praticamente todos os homens, mulheres e crianças que viviam na vila de Guinsaugon. "De uma população de 1.857 pessoas, nós temos 57 sobreviventes e 19 cadáveres", afirmou Farnacio enquanto os trabalhos de busca eram reiniciados no sábado (pelo horário local). "Calculamos que, mais ou menos, 1.800 pessoas devem ter morrido".As operações de salvamento na localidade de Saint Bernard, nas Filipinas, que foi soterrada nesta sexta-feira por um deslizamento de terra, foram suspensas por falta de luz, após a recuperação de 19 cadáveres. A governadora da ilha de Leyte, Rosette Lerias, que tem jurisdição sobre Saint Bernard, 650 quilômetros ao sudeste de Manila, declarou à EFE por telefone que a situação "continua sendo muito perigosa" porque não parou de chover e podem haver novos deslizamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.