Corpo de ex-presidente venezuelano Pérez é sepultado

Milhares de venezuelanos se despediram nesta quinta-feira do corpo do ex-presidente Carlos Andrés Pérez, cujo cadáver embalsamado foi finalmente sepultado em um cemitério caraquenho, após ter ficado durante meses em uma funerária na Flórida (EUA). Pérez morreu em Miami em 25 de dezembro do ano passado, aos 88 anos, mas a posse do seu corpo foi disputada entre sua esposa, Blanca Rodríguez, que queria sepultá-lo em Caracas, e por sua companheira Cecilia Matos, que desejava um sepultamento na Flórida. O corpo do mandatário foi enterrado hoje ao lado do corpo de sua falecida filha Taís Pérez Rodríguez.

AE, Agência Estado

06 de outubro de 2011 | 20h44

Ao grito de "voltaremos ao poder", milhares de seguidores se despediram de Pérez, que governou a Venezuela durante dois períodos, entre 1974 e 1979 e entre 1989 e 1993. Pérez foi cassado por corrupção em 1993 e não concluiu seu segundo mandato.

Carolina Pérez Rodríguez, uma das filhas de Pérez, afirmou que "apesar das calúnias dos seus inimigos, o povo reconhece que foi um homem que lutou contra as ditaduras, foi um exemplo de liberdades democráticas. Essa é a maior honra que ele queria".

Crítico ferrenho do presidente Hugo Chávez, Pérez sofreu um tentativa de golpe de Estado do atual mandatário - em 1992, Chávez, que era tenente-coronel do exército, tentou derrubá-lo em uma rebelião que foi esmagada. Chávez qualificou o velório de Pérez, que aconteceu hoje mais cedo na sede do partido do ex-mandatário, a Ação Democrática, de um "parque jurássico" e justificou sua tentativa de golpe em 1992, ao lembrar que Pérez e seus colaboradores mais próximos estavam envolvidos em esquemas de corrupção e que o ex-mandatário era insensível à miséria na qual vive a maioria da população venezuelana.

"Segundo eles, a Venezuela dos anos 1970 e 1980 foi algo assim como um paraíso, eles dizem que não existia repressão, aqui não havia exploração dos trabalhadores, não existia miséria, não ocorriam massacres. Só agora eu cheguei para dividir o país e enchê-lo de ódio", disse Chávez, irônico. "A Venezuela era um inferno de verdade", completou.

Pérez nasceu em 27 de outubro de 1922 em Rubio, no Estado de Táchira. Era filho de agricultores e o penúltimo de 12 irmãos. Embora tenha sido um dos políticos mais carismáticos da Venezuela, seu segundo mandato acabou em vergonha, quando foi afastado pela Justiça. Entre 1994 e 1996, cumpriu uma sentença de prisão domiciliar por corrupção. Foi novamente detido em 1998 e abandonou a Venezuela definitivamente em 2000. Pérez viveu então mais de uma década entre a República Dominicana e os Estados Unidos com Cecilia Matos e as duas filhas do casal.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.