Corpo de jornalista curda seqüestrada é encontrado no Iraque

O corpo de uma jornalista que trabalhava para uma emissora curda no Iraque e o de seu marido foram encontrados nesta sexta-feira, 14, com marcas de bala, quatro dias após o casal ter sido seqüestrado, informou o partido a União Patriótica do Curdistão (UPK).Imame Youssef desapareceu junto com seu marido, Moayed Hamid, que também foi achado morto, segundo um comunicado do UPK.Segundo a nota, a jornalista trabalhava em uma emissora local do partido político na cidade de Mossul, 400 quilômetros ao norte de Bagdá, conhecida como A Voz de Mossul.A repórter e seu esposo foram interceptados por um grupo de homens armados em Mossul quando retornavam para casa. Em seguida, foram seqüestrados e assassinados a tiros.Imame Youssef, de 43 anos e mãe de duas filhas, tinha começado a trabalhar nesta rádio há apenas dois meses.O UPK é dirigido pelo presidente do país, o curdo Jalal Talabani.Segundo dados do Comitê para a Proteção dos Jornalistas, com sede em Nova York, em 2007 seis jornalistas iraquianos foram assassinados, número que a instituição Repórteres sem Fronteiras aumenta para 15.A Federação Internacional de Jornalistas, com sede em Bruxelas, divulgou em seu relatório anual do ano passado 69 assassinatos de pessoal dos meios de comunicação no Iraque, país no qual até 31 de dezembro de 2006 um total de 171 profissionais tinha perdido a vida, após o início da invasão americana, em março de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.