Shannon Stapleton/Reuters
Shannon Stapleton/Reuters

Corpo de jovem empresário é encontrado esquartejado em apartamento de luxo em Nova York

Fahim Saleh, de 33 anos, era presidente da empresa Gokada, um aplicativo de mototáxis e entregas; motosserra foi encontrada perto do corpo

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2020 | 17h19

NOVA YORK - Um jovem empresário de origem bengalesa foi assassinado e teve o corpo esquartejado no apartamento luxuoso em que vivia em Nova York, informou a polícia nesta quarta-feira, 15.

O corpo de Fahim Saleh, de 33 anos, filho de bengaleses, foi encontrado na tarde de terça-feira em sua residência em Manhattan, disse à agência France Presse uma porta-voz da polícia. A polícia investiga o crime, mas ainda não fez nenhuma detenção, acrescentou.

Segundo o jornal Daily News, uma motosserra foi encontrada perto do corpo. O assassino teria fugido quando o porteiro do prédio ligou para o apartamento para avisar que a irmã de Saleh estava subindo. Foi ela que encontrou o corpo e avisou a polícia, segundo o jornal.

O Daily News especula que o homicídio está vinculado a uma briga empresarial. Fahim Saleh era presidente da empresa Gokada, um aplicativo de mototáxis e entregas em motos em Lagos, Nigéria.

Segundo suas contas no Twitter e Instagram, ele também era cofundador de uma empresa de capital de risco, a Adventure Capital, especializada em serviços digitais destinados a "melhorar a vida" em países em desenvolvimento.

"Fahim era um grande líder, uma inspiração e uma luz positiva para todos nós. A visão e a crença de Fahim em nós nos acompanhará para sempre e sentiremos muitíssimo a sua falta", manifestou-se a Gokada em sua conta no Twitter.

A imprensa local reportou que Saleh tinha comprado recentemente o apartamento onde morava por US$ 2,2 milhões (cerca de R$ 11,8 milhões). Sua morte ocorre em meio a uma forte alta da criminalidade em Nova York.  /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Nova York [Estados Unidos]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.