The Sun
The Sun

Corpo de suposto passageiro clandestino cai de avião no quintal de casa em Londres

Homem estaria viajando ilegalmente no compartimento do trem de pouso de um avião que seguia do Quênia para o aeroporto de Heathrow, na capital inglesa

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2019 | 07h07
Atualizado 02 de julho de 2019 | 12h12

LONDRES - A descoberta do corpo de um homem, supostamente um passageiro clandestino que caiu do trem de pouso de um avião da Kenya Airways com destino ao aeroporto de Heathrow, em Londres, provocou uma grande comoção no bairro em que foi encontrado.

A vítima caiu no domingo no jardim de uma casa em Clapham, sudoeste de Londres, onde um homem tomava um banho de sol, afirmou um vizinho, citado pela agência britânica de notícias Press Association.

O vizinho disse que ouviu um grande barulhou e correu para a janela. "A princípio, pensei que era um mendigo dormindo no jardim", afirmou. "Ele estava com toda as roupas. Eu olhei mais de perto e vi que havia sangue em todos os muros do jardim. Rapidamente entendi que havia caído."

A testemunha disse que o vizinho estava em "choque". "Ele tomava um banho de sol e (o homem) caiu a um metro dele", completou o morador, que pediu anonimato.

O corpo caiu com tamanha força que provocou um buraco na grama, segundo uma fotografia publicada pelo tabloide The Sun. De acordo com o vizinho, o corpo estava intacto, entre outros motivos, porque era como um "bloco de gelo".

Os investigadores acreditam que o homem era um "passageiros clandestino, que caiu do trem de pouso", informou a Scotland Yard. "Uma bolsa, água e comida foram encontrados no compartimento do trem de pouso", explicou a polícia.

A Kenya Airways afirmou que a viagem de 6,8 mil quilômetros de Nairóbi até Londres demora 8 horas e 50 minutos. "É lamentável que uma pessoa tenha perdido a vida ao viajar de forma clandestina em uma de nossas aeronaves e expressamos nossas condolências", afirmou a companhia em comunicado.

Nos últimos anos foram registrados vários incidentes similares nos arredores de Londres. 

Em 2012, o corpo de Jose Matada, um homem procedente de Moçambique, foi encontrado em uma calçada de East Sheen (sul de Londres), depois de cair de um voo da British Airways procedente de Angola.

Como seu desaparecimento nunca foi reportado, as autoridades britânicas levaram seis meses para identificá-lo. O inquérito sobre a sua morte apontou que ele foi exposto a temperaturas entre -50 graus Celsius e -60 graus Celsius e teve falta de oxigênio antes de cair da aeronave.

Em 2015, o corpo de um clandestino em outro voo da British Airways de Johanesburgo para Heathrow caiu em uma loja em Richmond, sudoeste de Londres. Um segundo clandestino sobreviveu ao voo de 10 horas e foi encontrado no trem de pouso do avião. / AFP e REUTERS

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.