Corpo de Vieira de Mello parte para a Suíça no domingo

O Salão Nobre do Palácio da Cidade, sede da prefeitura carioca onde é realizado o velório do diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello, foi aberto ao público logo depois que as principais autoridades que prestaram homenagem ao embaixador deixaram o local, por volta do meio-dia. No domingo, o salão será reaberto às 8 horas, o corpo será velado até as 13 horas e, depois, transportado pelo Boeing da Força AéreaBrasileira para Genebra, onde será sepultado.O caixão de Vieira de Mello foi coberto com asbandeiras do Brasil e da ONU e com algumas rosas. Dona Gilda, a mãe do diplomata, comoveu as autoridades, na hora da oração, quando chorou muito, abraçada ao caixão. Amiga de Dona Gilda, a empresária carioca Vera Loyola, disse que o caixão ficou totalmente fechado porque Vieira de Mello tinha um grande hematoma no rosto. Segundo Vera, a mãe do alto comissário ficou muito triste por não poder ?dar um beijo de despedida no filho?.Além dos parentes e amigos, também prestaram homenagens a Vieira de Mello o presidente Lula, o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, o chanceler brasileiro Celso Amorim, os ministros Antonio Palocci e Miro Teixeira, o secretário nacional de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, o prefeito carioca César Maia, o vice-governador Luiz Paulo Conde e o senador Eduardo Suplicy.O embaixador do Brasil na ONU, Ronaldo Sardenberg, informou que na segunda-feira haverá uma missa na catedral de Santa Agnes, em Nova York, em memória de Vieira de Mello. Colegas das Nações Unidas, brasileiros que vivem na cidade e diplomatas, além de Kofi Annan, participarão da cerimônia religiosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.