Correa afasta chefe do Exército após acidente com ministra

O presidente de Equador, Rafael Correa, afastou do cargo o comandante do Exército, Pedro Machado, ao responsabilizá-lo por uma série de negligências que precederam o acidente aéreo no qual morreu a ministra de Defesa do país na semana passada. "O presidente tomou a decisão de afastar o general Machado", disse nesta sexta-feira o ministro da Economia, Ricardo Patiño, encarregado da Secretaria de Defesa, em uma transmissão na televisão. Segundo Patiño, em informes anteriores sobre o acidente, foram encontrados vários problemas de planejamento, de operação e segurança aérea antes do vôo no qual morreram cinco oficiais, a ministra Guadalupe Larriva e sua filha mais nova. Os incidentes foram causados por erros de militares que estavam sob comando de Machado, mas a punição recaiu sobre o chefe militar, responsável pela segurança de Larriva, garantiu Patiño. Larriva, a primeira mulher na história do país a ocupar o Ministério de Defesa, morreu quando o helicóptero no qual viajava se chocou com uma aeronave similar na província de Manabí, ao oeste de Quito.Nova ministra assumePara o Ministério da Defesa, Rafael Correa nomeou hoje Lorena Escudero. Ela assimiu nesta sexta-feira o cargo que era de Guadalupe Larriva, em uma cerimônia formal realizada no Palácio de Carondelet, sede do executivo.Ao término da cerimônia, um dos filhos de Escudero, de aproximadamente cinco anos, rompeu o protocolo ao aproximar-se de sua mãe para abraçá-la.Sem emitir declarações à imprensa, assim que assumiu o cargo, Escudero se dirigiu ao Ministério da Defesa, onde militares de alto escalão a esperavam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.