Correa dá sinais de que protegerá Assange

O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou ontem que seu governo "não exporá nenhuma pessoa à pena de morte", ao se referir ao pedido de asilo feito pelo australiano Julian Assange. O criador do site WikiLeaks está na embaixada equatoriana em Londres há 47 dias. A Suécia pediu a extradição de Assange ao governo britânico. O empresário alega que se responder na Suécia a uma acusação por crimes sexuais poderá ser extraditado para os EUA, onde é acusado de espionagem, crime sujeito à pena de morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.