Correa diz que moratória do Equador seria ato de Justiça

O presidente do Equador, Rafael Correa, voltou a defender neste sábado a moratória de parte da dívida externa do país, que uma comissão governamental considerou irregular. A moratória seria um ato de Justiça, afirmou. "Já é hora de inaugurar a Justiça neste país e no mundo", disse Correa durante o programa semanal de rádio "Diálogo com o Presidente". Correa defendeu as conclusões da Comissão de Auditoria da Dívida Externa, que analisou a dívida emitida entre 1976 e 2006. Segundo a comissão, os empréstimos contraídos pelo país e suas posteriores renegociações violaram leis nacionais e internacionais. O relatório elaborado pela comissão da dívida durante um ano servirá de base para que o governo equatoriano entre com ações judiciais em cortes internacionais para evitar o pagamento de cerca de 37% do total do débito externo do país, referente aos bônus Global 2012, 2015 e 2030, que somam US$ 3,86 bilhões, segundo Correa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.