Correa diz que não vai retomar relações com Colômbia

O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou hoje que não retomará relações diplomáticas "com o governo de Álvaro Uribe, enquanto não esclarecer o bombardeio sem precedentes realizado sobre nosso território" contra um grupo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Com o povo colombiano temos boas relações", afirmou Correa, numa entrevista concedida ao canal 9 de Assunção, durante seu último dia de visita ao Paraguai.

AE-AP, Agencia Estado

24 de março de 2009 | 19h34

Correa afirmou que Uribe ofereceu desculpas por ocasião da cúpula de dirigentes do Grupo do Rio, realizada em Santo Domingo, na República Dominicana, "mas não respondeu a todas as exigências do Equador". O governo equatoriano rompeu relações com a Colômbia em 3 de março de 2008, dois dias depois de uma operação militar colombiana em território vizinho, sem autorização. Na ação morreram Raúl Reyes, líder das Farc, e 24 pessoas. O Equador denunciou o ataque como uma agressão a sua soberania e por isso rompeu as relações diplomáticas.

Correa também contou que quando deixar a atividade política, ele espera "voltar para a atividade acadêmica". "Na academia, não dizer a verdade é pecado. Na política, dizer a verdade é pecado." Ontem, quando chegou ao país, Correa assinou quatro convênios de cooperação bilateral com seu colega paraguaio Fernando Lugo "a quem dou meu apoio, mas não posso fazer recomendações porque isso seria intromissão em assuntos internos de outro país".

Tudo o que sabemos sobre:
EquadorColômbiaCorreadiplomaciaFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.