Correa diz que renunciará se Constituinte não for aprovada

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse nesta terça-feira, 10, que pensa "seriamente" em renunciar ao cargo caso os equatorianos rejeitem uma nova Constituição proposta pelo governo.Correa disse que obterá uma vitória "esmagadora" no referendo de domingo, mas advertiu que se o resultado for o inverso poderia analisar a possibilidade de deixar seu cargo.O anúncio foi feito em uma entrevista na televisão, um dia após expressar confiança de que os eleitores iriam sair às ruas no referendo de domingo, apoiando a criação de uma assembléia pra reescrever a constituição do país."Vou ter que pensar nisso", disse. "Nós temos que pensar nisso seriamente. Eu não deveria ficar no cargo". Em fevereiro, Correa disse que deveria "simplesmente ir pra casa" se o referendo falhasse.Ainda nessa semana, Correa havia dito que a possibilidade da medida falhar era "muito remota".Se aprovada, a assembléia constituinte de 130 membros deve se reunir por 180 dias, começando em novembro.O presidente enfrenta uma campanha na mídia iniciada pela oposição para promover o "não" no referendo, uma posição que tem ganhado adeptos sob o argumento de que uma constituinte acabaria com o sistema monetário de dolarização vigente desde 2000 e que geraria caos político e social.Correa segue os passos de esquerdistas que lideram nações na região, como o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e o da Bolívia, Evo Morales.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.