Correa não descarta adoção de sistema de duas moedas

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse que gostaria que uma nova Constituição mantivesse o dólar como a moeda do país, embora não descartasse a possibilidade de um sistema dual de moedas. "O presidente anunciou que vai buscar uma forma para que as deficiências da moeda nacional possam ser abordadas na próxima Constituição e, para isso, ele citou alternativas tais como a adoção de um sistema duplo de moedas ou para que o Banco Central determine a moeda", afirma comunicado do gabinete presidencial resumindo os comentários feitos por Correa a repórteres durante um vôo do Brasil. Não foram dados mais detalhes.Embora o dólar seja a moeda oficial do Equador desde 2000, a atual Constituição, que foi revisada em 1998, estabelece o sucre como a moeda oficial. Durante sua campanha eleitoral, Correa citou a possibilidade de a Constituição estabelecer diversas moedas, tais como o euro e o dólar, como oficiais para as transações. Segundo o gabinete do presidente, Correa reiterou que manterá a dolarização durante seus quatro anos de governo. Mas ele também afirmou que "este sistema é insustentável no longo prazo e estou apostando numa moeda regional como solução". O comunicado acrescenta que Correa disse que não proporá mudanças nas normas para permitir que o presidente seja reeleito para um segundo mandato consecutivo, embora ele tenha sempre sido em favor de permitir a reeleição. Correa pode não pressionar por uma mudança na legislação, mas uma planejada Assembléia Constituinte poderá fazê-lo para alterar a Constituição. O Equador realizará um referendo no dia 15 para decidir se convoca a Constituinte, que poderia ser realizada no início de 2008. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.