Correa restringe acesso da imprensa ao governo

O secretário de Comunicação do Equador, Fernando Alvarado, confirmou ontem a decisão do presidente Rafael Correa, anunciada no sábado, de que nenhum funcionário do governo dará entrevistas a meios de comunicação "com viés mercantilista". Segundo Alvarado, o governo escolherá quais veículos terão acesso a seus porta-vozes e funcionários estatais só poderão falar com meios públicos e comunitários ou com os privados que não sejam "oligarquias midiáticas que distorcem a realidade informativa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.