Correa se proclama vencedor das eleições do Equador

O candidato esquerdista à presidência do Equador, Rafael Correa, que aparece na frente em várias pesquisas de boca-de-urna e é fortemente apoiado pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, se proclamou na noite deste domingo vencedor das eleições do país, e assumiu a "vitória" com "serenidade, esperança e gratidão".Segundo pesquisa de boca-de-urna divulgada pela televisão Teleamazonas, Correa tem 57% dos votos válidos no 2º turno, enquanto seu adversário, o populista de direita Álvaro Noboa, obtém 43%. A margem de erro da sondagem da emissora é inferior a 1 ponto porcentual. Todas as outras três pesquisas de boca-de-urna realizadas por emissoras de TV equatorianas apresentaram números semelhantes.Em um tom conciliador, Correa disse que é um dia "histórico para a pátria", sem vencedores ou vencidos entre os cidadãos. "Começamos a recuperar a pátria. Hoje não termina uma jornada, começa uma outra decisiva, jamais nossa luta foi por enviar um homem à Presidência, sempre foi pela pátria", afirmou Correa em sua primeira mensagem após a divulgação dos resultados das pesquisas.O esquerdista diz que recebe a vitória com serenidade porqueentende que "tanta ilusão, alegria e esperança de todo o povo não épor dois cidadãos, mas por esse afã de mudança, por acreditar queuma pátria nova e melhor para todos e todas é possível". Para Correa, sua virtual vitória é uma demonstração que, "após muitos anos de trevas políticas, econômicas e sociais excludentes", a esperança dos equatorianos não foi roubada."Hoje, essa esperança venceu e por isso recebemos o triunfo comprofunda serenidade e humildade, porque sabemos que não é o apoio aduas pessoas, mas à esperança. Nós somos tão só instrumentos dopoder cidadão", afirmou.Correa ressaltou que "o povo equatoriano" assumirá o governo no dia 15 de janeiro e não apenas duas pessoas, ele e seu companheiro de candidatura, o virtual vice-presidente Lenin Moreno.Correa disse que assume sua vitória com "gratidão às milhares demãos anônimas que lutaram voluntariamente para levar adiante otriunfo do projeto cidadão". O candidato também reiterou que não assinará o Tratado de Livre-Comércio com os Estados Unidos por considerar que este só beneficiaria aos americanos.Em sua primeira entrevista coletiva após as eleições realizadas neste domingo, Correa antecipou o eventual gabinete, informando que Ricardo Patiño será ministro da Economia; Alberto Acosta assumirá a Energia; Janet Sánchez, o Bem-estar Social; Gustavo Larrea, a pasta deGoverno, e Carlos Casal será o presidente da empresa estatalPetroecuador.Além disso, o candidato indicou que irá renegociar a dívida externa "sem excluir a possibilidade de uma moratória unilateral caso a situação do país a requeira". Ao assinalar que o Equador deve integrar-se a blocos políticos e econômicos, Correa afirmou que deve fazer parte de um bloco de países produtores de petróleo, anunciando que o País voltará a integrar a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), da qual fez parte até meados da década de 1990 e, segundo ele, não deveria ter saído.ApuraçãoOs dados das pesquisas de boca-de-urna foram divulgados cinco minutos antes do fechamento das urnas, ocorrido às 17h (20h em Brasília), embora TSE tenha pedido para emissoras de televisão não divulgarem pesquisas deste tipo. Segundo o ex-senador chileno José Antonio Viera Gallo, convidado especial da Secretaria-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) para observar as eleições no Equador, o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) do Equador deve começar a emitir resultados oficiais parciais a partir das 21h (0h em Brasília), quatro horas após o fechamento das sessões.Gallo enfatiza que a apuração oficial "leva tempo e, portanto, é preciso esperar com calma" os resultados definitivos. O ex-senador lembra que as pesquisas de boca-de-urna são "uma indicação, uma projeção, que tem uma margem de erro". O Tribunal Supremo Eleitoral deve concluir a apuração oficial na próxima quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.