Correção: Bolsa de Cingapura quer fusão com australiana

A nota enviada anteriormente possui um erro. O pagamento para aquisição da Bolsa de Sidney (ASX) pela Bolsa de Cingapura (SGX) foi proposto da seguinte forma: US$ 21,83 em dinheiro e 3,743 em ações da SGX por cada ação da companhia australiana - e não 3.743 em ações, como informado. Segue novamente o texto, corrigido:

AE, Agência Estado

25 de outubro de 2010 | 12h02

A Bolsa de Cingapura (SGX) ofereceu nesta hoje US$ 8,3 bilhões - ou cerca de 8,4 bilhões de dólares australianos - pela fusão com a Bolsa de Sidney (ASX), a fim de criar um centro financeiro potente na região da Ásia do Pacífico, informou em comunicado a Bolsa australiana. A Bolsa de Cingapura avaliou as ações da ASX em US$ 47,11 dólares americanos e pagará US$ 21,83 dólares e 3,743 ações da SGX por cada ação da companhia australiana. Cerca de 43% da oferta será em dinheiro e o restante em ações. A operação, que ainda necessita da aprovação dos organismos reguladores e dos acionistas dos dois países, deverá se efetivar em meados de 2011.

De acordo com a imprensa australiana, uma fusão das praças de Cingapura e Sidney criará a quinta bolsa mundial. A nova bolsa tem como objetivo competir com as bolsas de Hong Kong, Shangai e Tóquio. O grupo combinado, ASX-SGX Ltd., será listado em ambos os mercados. Esse movimento para consolidação de negócios na Ásia segue o que já havia ocorrido com várias indústrias na Europa e na América.

A fusão beneficiará ambas as partes, criando um mercado de aproximadamente US$ 1,9 bilhão, com 2,7 mil empresas listadas, o que pode ser uma séria ameaça aos mercados de Hong Kong, Shangai e Tóquio, seduzindo grandes investidores. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaCingapurafusãobolsaÁustralia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.