Correção: Taleban ataca prisão paquistanesa

Ao contrário da nota enviada às 15h29, o Taleban não atacou bases da Organização das Nações Unidas (ONU) no Afeganistão, e sim da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Segue a nota com a correção no quarto e quinto parágrafos:

EDUARDO MAGOSSI, Agência Estado

15 de abril de 2012 | 16h08

Militantes do Taleban carregando armas automáticas e granadas conseguiram entrar em uma prisão localizada no noroeste do Paquistão e libertaram 380 prisioneiros, incluindo pelo menos 20 considerados "muito perigosos". A ação, que contou com mais de 100 rebeldes, foi uma demonstração dramática da força dos insurgentes. Os fugitivos podem agora voltar a lutar com os rebeldes, impulsionando o movimento com a propaganda. Milhares de paquistaneses já foram mortos pelo Taleban desde 2007.

Os atacantes entraram na prisão antes do dia amanhecer, na cidade de Bannu, próxima da fronteira com o Afeganistão, disse o policial Shafique Khan. Eles usaram explosivos e granadas de mão para derrubar os principais portões e dois muros. Depois de entrarem na prisão, os rebeldes se dirigiram para a ala onde os prisioneiros condenados à morte estavam. Eles lutaram com os guardas por duas horas, incendiando parte da prisão antes de libertar 380 prisioneiros, incluindo pelo menos 20 "militantes do Taleban muito perigosos".

Existe a suspeita de que os militantes tiveram ajuda interna de funcionários da prisão. Eles coordenaram suas ações por meio de aparelhos de rádio e, desta forma, conseguiram libertar seus companheiros em diferentes partes da prisão. Os rebeldes carregavam martelos para quebra os cadeados e as portas. Ao libertar Adnan Rashid, condenado à pena de morte, eles gritaram "Deus é grande" e "Vida Longa ao Taleban" e colocaram um turbante sobre sua cabeça.

No Afeganistão, militantes do Taleban também realizaram uma série de ataques coordenados em Cabul neste domingo, com foco em pelo menos três regiões da capital onde se encontram os prédios do governo, as embaixadas de países ocidentais e as bases da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Não existem informações de mortes durante o ataque, embora autoridades informaram que pelo menos cinco pessoas ficaram feridas. As forças da Otan informaram, em um comunicado, que pelo menos sete locais estavam sob ataque na capital.

O porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, assumiu a responsabilidade pelos ataques em uma mensagem de texto enviada para a Associated Press. Ele disse que um grupo de militantes realizou ataques aos quartéis-generais da Otan, prédios do parlamento e embaixadas, com homens-bomba. Mais de dez explosões atingiram a capital afegã e um forte ataque de mísseis durou mais de uma hora depois do ataque inicial. Outras três cidades orientais sofreram ataques na mesa hora, neste domingo, mas ainda há poucos detalhes sobre eles. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
TALEBANATAQUESPAQUISTÃOAFEGANISTÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.