Correios de Belfast interceptam três cartas-bomba

Policiais e políticos da Irlanda do Norte acusaram dissidentes Exército Republicano Irlandês (IRA, por suas iniciais em inglês) de ter enviado pelo menos três cartas-bomba a oficiais católicos da polícia e ao diretor da principal penitenciária da província britânica. Funcionários da principal instalação do Correio Real em Belfast detectaram três bombas incendiárias escondidas em cartas, causando problemas crônicos na entrega de correspondências na Irlanda do Norte.Especialistas em explosivos do Exército da Grã-Bretanha desarmaram os três artefatos em segurança. A polícia descreveu as bombas como "rústicas, mas viáveis". Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelas cartas-bomba, mas todas as autoridades visadas são consideradas alvos prováveis de dissidentes do IRA contrários ao Acordo de Paz da Sexta-Feira Santa, assinado em 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.