Correios dos EUA optam pelo transporte terrestre

Os postos dos correios dos Estados Unidos, após os ataques terroristas de 11 de setembro, estão preferindo o transporte terrestre para despachar a correspondência. Com a decisão - embora com a conseqüente demora no tempo da entrega -, os correios evitam as severas medidas impostas pelas autoridades federais para garantir a segurança aérea. A nova política dos correios provocou uma redução de 40% nos lucros das companhias aéreas que operavam no setor. Após as catástrofes, a Administração da Aviação Federal (FAA) ordenou que todos os envelopes despachados a bordo de aviões de passageiros sejam analisados por instrumentos antiexplosivos - o que representaria um forte aumento dos custos dos serviços postais americanos. A porta-voz dos Correios, Monica Hand, informou que houve uma queda entre 10% e 25% na utilização de companhias aéreas para o tráfico postal depois dos atentados de setembro. Por sua vez, as companhias privadas de transporte, como a FedEx e a UPS, podem ser beneficiadas com este cenário, já que desde antes de 11 de setembro submetiam seus pacotes e correspondência a um maior controle. Leia o especial

Agencia Estado,

16 Outubro 2001 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.