Correspondente do NYT escapa de seqüestro em Gaza

Um correspondente do New York Times escapou de uma tentativa de seqüestro enquanto cobria a incursão do Exército de Israel no campo de refugiados de Rafa, na Faixa de Gaza, informou o jornal. James Bennet, chefe da sucursal para Israel e os territórios palestinos, disse que estava falando ao telefone celular em frente ao hospital de Rafa quando um palestino se aproximou, sorriu e ofereceu sua mão dizendo "bem-vindo". Quando Bennet apertou sua mão, o homem e outro palestino o agarraram e tentaram enfiá-lo em no banco de trás de um velho Mercedes, em uma ação que lembrou os seqüestros de estrangeiros por militantes muçulmanos durante a guerra do Líbano nos anos 80. O seqüestro foi impedido apenas por um segurança do hospital, que correu para ajudar Bennet ao vê-lo gritando e lutando para livrar-se dos seqüestradores. Os homens entraram no carro e fugiram em alta velocidade, disse o correspondente, acrescentando que eles não pareciam estar armados. "Foi uma enorme confusão", disse o jornalista, que saiu ileso, mas com a camisa rasgada. O sentimento anti-EUA aumentou entre os palestinos durante o conflito, pois eles consideram a Casa Branca pró-Israel. Bennet se havia identificado como americano no hospital. O incidente aumento o temor de violência contra jornalistas estrangeiros no conflito árabe-israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.