Corrida nuclear divide encontro

Nos bastidores da Cúpula da Liga Árabe, governos do Oriente Médio debatiam fórmulas para tentar congelar a tensão e evitar que fiquem presos no meio de uma corrida armamentista entre Israel e Irã. O tema da conferência concluída ontem era a reconciliação do mundo árabe. Mas o encontro serviu para mostrar que as divisões ainda são profundas.O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa, quer transformar o Oriente Médio em uma zona livre de armas nucleares até 2020 e alertou que "não aceitará uma extorsão nuclear". O temor de alguns governos moderados da região e mais próximos aos EUA é a insistência de Teerã em desenvolver seu programa nuclear. "Precisamos ter um sistema de segurança regional que proteja a zona de uma corrida armamentista nuclear", disse. O pano de fundo é o medo de sauditas, egípcios e jordanianos de que o regime xiita em Teerã ganhe adeptos no interior de vários países do Oriente Médio, ameaçando a estabilidade de regimes sunitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.