Corrupção tem sido recorrente

Escândalos de corrupção têm sido frequentes na ONU nos últimos anos. O mais conhecido deles é o programa Petróleo por Alimentos, organizado no Iraque entre a primeira e a segunda Guerra do Golfo. Depois de denúncias, ficou claro que altos funcionários da entidade aceitaram propinas para determinar as empresas que participariam do esquema. Na época, uma das empresas investigadas era a Cotecna, que havia recebido autorização para trabalhar com o Iraque. Em seu quadro de funcionários estava Kojo Annan, filho do então secretário-geral da ONU, Kofi Annan.

O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2013 | 02h02

Auditorias internas ainda revelaram que, nos últimos anos, US$ 65 milhões foram gastos em combustível em missões no Haiti e no Sudão que não eram necessárias ou sequer existiam. No Timor Leste, uma empresa de helicópteros ganhou um contrato pedindo US$ 10,4 milhões para ceder uma aeronave que valia US$ 1,6 milhão. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.