Corsos rejeitam reformas institucionais propostas pela França

Os corsos rejeitaram hoje por estreita margem num referendo histórico a concessão de maior autonomia por parte da França, um revés para o governo francês que esperava que o plano suprimisse décadas de violência separatista. A margem foi estreita: 50,98% para o "não", 49,02% para o "sim". Compareceram às urnas 60% dos 191.000 eleitores inscritos. O presidente Jacques Chirac lamentou a derrota, mas pediu aos corsos respeito à lei e à ordem. Desde o início do ano, ocorreram ali 124 atentados, atribuídos a separatistas. As reformas previam a fusão dos dois governos regionais em um, com sede em Ajaccio, com competência para arrecadar impostos. O primeiro-ministro francês, Jean-Pierre Raffarin, confiava na vitória do "sim". Segundo analistas, a prisão na véspera do separatista Yvan Colonna, acusado do assassinato do prefeito de Ajaccio, Claude Erignac, em 1998, pode ter influído no resultado.

Agencia Estado,

06 Julho 2003 | 21h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.