Cortar ajuda ao Egito pode não reverter ações, diz Obama

O presidente do EUA, Barack Obama, disse em uma entrevista nesta sexta-feira que cortar a ajuda ao Egito "pode não reverter o que o governo interino faz". Contudo, Obama afirmou que os EUA precisam ser "muito cautelosos" em relação a imagem do país, pois devem evitar ser vistos como um agente que ajuda e é cúmplice de ações que vão contra seus valores.

AE, Agência Estado

23 Agosto 2013 | 08h57

Autoridades do governo de Obama estão analisando a possibilidade de cortar ajuda financeira anual ao Egito depois que o governo interino, apoiado pelos militares, reprimiu, de forma agressiva, protestos de simpatizantes do presidente deposto Mohammed Morsi.

Falando na emissora CNN, Obama defendeu sua decisão de postergar reduzir ajuda, alegando que foi preciso um período de tempo após a queda de Morsi para que os EUA usassem a diplomacia e incentivassem os militares a buscarem a reconciliação. Segundo o presidente, esta foi a abordagem correta, embora os "militares não tenham aproveitado essa oportunidade". Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
egito eua obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.