Corte adverte afegãos para evitar "infiéis"

O presidente da Corte Suprema de Justiça do Taleban, que conhece o caso dos trabalhadores estrangeiros de ajuda humanitária acusados de pregar o cristianismo, advertiu hoje os afegãos para que se mantenham distantes dos não-muçulmanos - os quais, segundo disse tentam destruir sua fé. "Detenham suas relações com o kafir (infiel). A amizade com o kafir está proibida", afirmou o juiz Noor Mohammed Saqib perante centenas de devotos na maior mesquita de Cabul. Saqib advertiu os muçulmanos de que algumas organizações internacionais de ajuda utilizam a caridade como meio de propagação do cristianismo. Ele se referiu especificamente à Shelter Now International, organização cristã cujos fncionários - dois americanos, quatro alemães e dois australianos - foram detidos sob acusações de proselitismo. Os estrangeiros foram detidos junto com empregados afeganes da Shelter Now International. A acusação que pesa sobre eles é grave num país islâmico de linha fundamentalista. O julgamento dos estrangeiros começou na terça-feira na Corte Suprema. Não há informações sobre quando serão levados a julgamento os afeganes presos. Na semana passada, o Taleban fechou os escritórios locais de outras duas organizações internacionais de ajuda, ambas autodenominadas cristãs - a International Assistance Mission (IAM) e a SERVE - e expulsaram do país os estrangeiros que trabalhavam nelas.Ontem, funcionários do ministério de Relações Exteriores mostraram literatura cristã, incluindo Bíblias traduzidas para idiomas locais, encontradas nos escritórios da IAM, e a ata de fundação da osrganização, que diz que um de seus objetivos é "fortalecer a igreja cristã" no Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.