Corte britânica exige libertação de acusado em ataque de 9/11

A Corte britânica ordenou nesta quarta-feira, 25, que o marroquino Farid Hilali, acusado e preso pela Espanha por ter supostamente participado dos atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos, seja solto.Hilali foi preso em 2004 pelo Reino Unido e lutou por dois anos contra o pedido de extradição da Espanha. Os juízes Janet Smith e Stephen Irwin decretaram que a detenção do marroquino foi arbitrária e injustificada.No entanto, Hilali não foi imediatamente solto e passar ainda pela Casa dos Lordes, em Londres.Hilali foi preso e acusado de terrorismo em junho de 2004 depois que seu nome, incluindo outros 34, foram divulgados como supostos colaboradores dos ataques de 11 de setembro nos EUA.Autoridades espanholas pediram sua extradição por suspeita de que ele tenha ligação com Spaniard Imad Yarkas, acusado de fundar uma facção ligada à Al-Qaeda na Espanha.Já Muddassar Arani, advogado de Hilali, acusou as autoridade espanholas de abusar no pedido de prisão do marroquino. "Nós argumentamos que as cortes européias devem seguir as decisões uma das outras. Quem pediu a extradição deve agora agira abertamente e de boa fé", disse o advogado.O juiz espanhol Baltasar Garzon afirmou que Hilali foi identificado com o codinome Shakur e acredita que ele esteja envolvido com terroristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.