Corte britânica sentencia príncipe saudita à prisão

Uma corte britânica condenou um príncipe saudita a um mínimo de 20 anos de prisão, por golpear e estrangular um funcionário em um luxuoso hotel britânico. O juiz David Bean determinou que o príncipe Abdulaziz bin Nasser al Saud ficará pelo menos duas décadas na cadeia pelo ataque realizado no Hotel Landmark, de Londres, em 15 de fevereiro.

AE-AP, Agência Estado

20 de outubro de 2010 | 15h46

O promotor Jonathan Laidlaw disse que o príncipe havia abusado de seu funcionário várias vezes. Segundo ele, fotos guardadas em um telefone celular "demonstram claramente" que o abuso teve um "componente sexual". O caso, bastante acompanhado pelo público na Grã-Bretanha, incluiu testemunhos escabrosos e imagens de vídeo nas quais o príncipe atacava brutalmente o funcionário, no elevador do hotel.

"Ninguém neste país está acima da lei", afirmou Bean. "Seria um erro que eu lhe impusesse uma sentença mais severa ou branda por ser membro da família real saudita". O príncipe foi condenado por homicídio e também por ataque físico grave pelo ocorrido no elevador. As autoridades sauditas não comentaram o caso e a imprensa do país não mencionou o julgamento. O avô do príncipe é meio-irmão do atual rei saudita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.