Corte confirma sentença de Yulia Timoshenko

A mais alta corte da Justiça da Ucrânia manteve ontem a condenação da ex-primeira-ministra Yullia Timoshenko, que havia apelado da sentença. Detida há um ano, a ucraniana foi condenada em outubro de 2011 a 7 anos de prisão por abuso de poder na assinatura de um contrato de gás com a Rússia considerado prejudicial à Ucrânia. Depois do acordo comercial, o preço do gás aumentou significativamente. Yulia foi idealizadora da Revolução Laranja, de 2004, que promoveu a democracia, e concorreu à presidência em 2010, sem sucesso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.