Corte de apelações mantém política de veto a militares abertamente gays

EUA

, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2010 | 00h00

Um tribunal federal de apelações aprovou ontem uma solicitação da Casa Branca e disse que as Forças Armadas poderão manter temporariamente o veto a pessoas abertamente homossexuais até que o recurso que tinha derrubado a restrição seja definitivamente julgado. A suspensão da política conhecida como "Don"t ask, don"t tell" (Não pergunte, não diga) tinha sido determinada na terça-feira por uma juíza da Califórnia, que considerou ilegal a política de 17 anos. A proibição a soldados de revelar sua homossexualidade foi considerada uma violação da liberdade de expressão.

Em meio ao impasse, o Departamento de Defesa havia instruído ontem suas unidades de recrutamento a aceitar as candidaturas de pessoas abertamente gays. Mas o Pentágono reafirmou que os militares que revelarem sua homossexualidade até que o processo seja concluído correm o risco de ser expulsos. Obama havia prometido em sua campanha acabar com a política do "Não pergunte, não diga".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.