Corte de Haia pode agir contra colonos israelenses, diz ONU

Israel pode ser levado ao Tribunal Penal Internacional (TPI), de Haia, por sua política de expansão de assentamentos, considerados ilegais. Essa é uma das conclusões de uma investigação realizada pela ONU, que pediu a retirada total dos colonos israelenses. Para a entidade, Israel tem usado essa política para "anexar" partes do território palestino e comete sérias violações contra os direitos humanos da população local.

O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2013 | 02h01

O documento foi apresentado ontem no Conselho de Direitos Humanos, em Genebra. "Israel precisa acabar com os assentamentos sem precondições", aponta o documento. Segundo a investigação, 250 assentamentos foram criados desde 1967 por Israel, com uma população de 520 mil pessoas. Para processar Israel, a Autoridade Palestina teria de ser aceita no TPI. Com o reconhecimento de Ramallah como "Estado observador" da ONU, a filiação palestina à Corte está mais próxima. / JAMIL CHADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.