Corte de Israel liberta oficial que se recusou a servir

A Suprema Corte de Israel ordenou hoje a libertação de um oficial da reserva preso por se recusar a servir nos territórios palestinos. David Zonshein, de 29 anos, um tenente da tropa de pára-quedistas e co-fundador do grupo Coragem para não Servir, foi preso no último dia 13 depois de desobedecer uma ordem para servir nas áreas palestinas ocupadas.Como muitos dos participantes do grupo, Zonshein passou por um breve julgamento disciplinar e, sem qualquer auxílio de um advogado, foi sentenciado a 35 dias de prisão em uma penitenciária militar. No entanto, Zonshein afirma desejar um julgamento em uma corte marcial, realizado a portas abertas, com a presença de um advogado e com direito a testemunhas. Neste caso, ele corre o risco de pegar até três anos de prisão caso seja considerado culpado.O presidente da Suprema Corte israelense, Aharon Barak, disse que uma decisão sobre a corte marcial deverá ser anunciada o mais rápido possível. ?Por enquanto eles decidiram libertá-lo da prisão e isto já nos deixa muito satisfeitos", disse o advogado do grupo de Zonshein.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.