Corte de Jerusalém condena dois menores israelenses pelo assassinato de um adolescente palestino

Corte de Jerusalém condena dois menores israelenses pelo assassinato de um adolescente palestino

Tribunal determinou que os acusados sequestraram e assassinaram o jovem palestino Mohamad Abu Jdeir em julho de 2014

O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2015 | 14h44

JERUSALÉM - Um tribunal de Jerusalém considerou culpados por assassinato dois menores de idade israelenses por sequestrarem e queimarem vivo em 2014 um adolescente palestino. O crime alimentou a escalada de violência antes da guerra de Gaza.

O pronunciamento sobre o terceiro acusado, de 31 anos, considerado o mentor e principal executor do crime, foi adiado, à espera de uma avaliação psiquiátrica.

O tribunal determinou que os três acusados sequestraram e assassinaram Mohamad Abu Jdeir em julho de 2014 em Jerusalém.

No entanto, os juízes não anunciaram a pena. Antes disso, eles pretendem se pronunciar em 20 de dezembro sobre o adulto acusado, Yosef Haim Ben David, após a avaliação psiquiátrica.

Os advogados do réu apresentaram há alguns dias um documento para alegar que ele não tem responsabilidade penalmente, o que explica a decisão inesperada.

Os juízes anunciarão as penas em 13 de janeiro no caso dos menores de idade, segundo o tribunal.

Yosef Haim Ben David, um judeu morador de uma colônia próxima a Jerusalém, explicou aos investigadores após sua detenção que eles pretendiam vingar o sequestro e o assassinato, três semanas antes, de três adolescentes israelenses por parte dos palestinos na Cisjordânia ocupada.

O assassinato de Mohammed Abu Khdeir aumentou a tensão entre palestinos e israelenses, o que resultou na guerra na Faixa de Gaza entre julho e agosto de 2014. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
israelensesJerusalémpalestino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.