Corte de Terrorismo julgará caso de mulheres sauditas

Duas sauditas presas por quase um mês após violarem a lei que proíbe mulheres de dirigirem na Arábia Saudita foram encaminhadas a um tribunal que julga casos de terrorismo por acusações relacionadas a comentários que elas fizeram em veículos de mídia social.

Estadão Conteúdo

25 de dezembro de 2014 | 14h17

Várias pessoas próximas das acusadas disseram que os advogados de defesa das mulheres apelaram imediatamente da decisão, anunciada hoje, de transferir o caso para a Corte Criminal Especializada, em Riad, estabelecida para tratar casos de terrorismo, mas que também tem sido usada para julgar ativistas.

As fontes afirmaram que Loujain al-Hathloul, de 25 anos, e Maysa al-Amoudi, de 33, não estão sendo acusadas de desafiaram a proibição, mas por opiniões expressadas na Internet. Elas se recusaram a detalhar as acusações devido a sensibilidade do caso. Todos falaram anonimamente por temerem represálias do governo. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.