Corte do Paquistão condena 5 americanos por terrorismo

Uma corte paquistanesa sentenciou hoje cinco norte-americanos à prisão, por considerá-los culpados por lançar uma guerra contra o Estado e financiar um grupo terrorista, afirmaram advogados.

AE, Agência Estado

24 de junho de 2010 | 09h44

Umar Farooq, Waqar Hussain, Rami Zamzam, Ahmad Abdullah Mini e Amman Hassan Yammer, com idades entre 19 e 25 anos, tiveram um julgamento a portas fechadas, em uma prisão na cidade de Sargodha, no leste do país. O juiz afirmou que eles eram culpados por duas das acusações, mas eles foram absolvidos de outras três. Cada um recebeu duas sentenças, uma de dez anos de prisão e outra de cinco. Cada réu terá também de pagar uma multa equivalente a US$ 820.

A defesa e a promotoria prometeram recorrer. "Nós apelaremos do veredicto e pediremos 20 anos", disse Rana Bakhtiar, vice-promotor geral do governo provincial do Punjab no caso. Os norte-americanos têm ascendências de Egito, Eritreia, Paquistão e Iêmen. Eles foram presos em dezembro, em Sargodha, acusados de tramar um atentado terrorista.

Segundo funcionários paquistaneses, os jovens pretendiam viajar ao vizinho Afeganistão e unir-se a militantes liderados pelo Taleban, para enfrentar as tropas dos Estados Unidos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Os réus afirmam ser inocentes, argumentando que estavam no Paquistão para um casamento e pretendiam depois fazer trabalho humanitário no Afeganistão. Eles acusaram o FBI e a polícia paquistanesa por tortura, mas as autoridades negam qualquer irregularidade. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.