Corte européia nega direitos humanos plenos a feto

O principal tribunal de direitos humanos da Europa rejeitou uma apelação movida com o objetivo de garantir direitos humanos plenos a um feto, anunciando que tal decisão fica a cargo dos governos nacionais do continente. Reunida em Estrasburgo, França, a Corte Européia de Direitos Humanos rejeitou a queixa por 14 votos a dois e anunciou que não pode decidir o processo movido por uma mulher francesa que foi obrigada a fazer um aborto por causa de um erro médico. Depois de os tribunais franceses terem rejeitado a condenação de um médico por homicídio involuntário, Thi-Nho Vo reclamou que a França teria violado o direito à vida de seu filho ainda não-nascido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.