Jorge Torres/EFE
Jorge Torres/EFE

Corte Interamericana de Direitos Humanos pede libertação imediata de quatro opositores na Nicarágua

Governo Ortega prendeu 19 pessoas até o momento; entre eles, estão cinco candidatos à presidência

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2021 | 23h00

MANÁGUA - A Corte Interamericana de Direitos Humanos pediu nesta quinta-feira, 24, libertação imediata e proteção da vida e da integridade de quatro opositores presos na Nicarágua

Em sua resolução, o tribunal, com sede na Costa Rica, pediu que o governo de Daniel Ortega solte os candidatos à presidência Juan Sebastián Chamorro e Félix Maradiaga, o empresário José Adán Aguerri e a ativista Violeta Granera.

A medida provisória pede ao Estado da Nicarágua que informe "até 8 de julho sobre as medidas urgentes tomadas para cumprir esta decisão."

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos solicitou a intervenção do tribunal afirmando que algumas prisões foram feitas de forma violenta e que alguns dos detidos apresentam problemas de saúde. A entidade avaliou que pode agir em favor dessas quatro pessoas, uma vez que as situações delas cumprem três premissas: são de "extrema gravidade", precisam ser atendidas "com urgência" e são passíveis de "danos irreparáveis", de acordo com a Convenção Americana.

As medidas provisórias da Corte IDH costumam ser anunciadas "em casos de extrema gravidade e urgência", e seu cumprimento é obrigatório para os países membros, entre eles a Nicarágua.

Até a quarta-feira, 23, havia 19 pessoas presas acusadas de incitar a interferência estrangeira e apoiar sanções contra o governo Ortega. Entre elas, estão cinco candidatos à presidência. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.