Corte julgará acusado de humilhar Saddam em execução

As autoridades iraquianas entregaram à Justiça um homem acusado de ter participado das humilhações verbais contra Saddam Hussein, instantes antes do enforcamento do ex-ditador, informou um funcionário nesta terça-feira. Ali Al Dabbagh, porta-voz do governo iraquiano, disse que a investigação oficial concluiu que os incidentes ocorridos durante a execução em 30 de dezembro, e registrados clandestinamente em vídeo, deveriam ser atribuídos a um "comportamento individual". Também na terça-feira, apareceu na internet um novo vídeo clandestino sobre a execução. Nesse, Saddam aparece numa maca hospitalar, com uma profunda ferida no pescoço. Nos vídeos da execução, é possível ouvir Saddam sendo humilhado, aparentemente por xiitas presentes. Alguém grita o nome do clérigo radical Moqtada Al Sadr. "O governo descobriu a pessoa que fez isso", disse Dabbagh a jornalistas, referindo-se a quem xingou Saddam. "Essa pessoa foi entregue à corte. O governo não interfere no trabalho do Judiciário, e agora cabe à corte decidir." O porta-voz não identificou o suspeito nem explicou por que ele era a única pessoa sob investigação. De acordo com Dabbagh, "a gravação não foi um problema, e sim os gritos". Mesmo sem justificar a ação, o porta-voz disse que se tratou de "uma reação natural para uma pessoa que viu um criminoso governar o Iraque por 35 anos e que esmagou todas as pessoas, foi uma reação irresponsável e a condenamos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.