Corte militar condena à morte 4 xiitas que protestaram por reformas democráticas

Uma corte militar do Bahrein condenou ontem à morte quatro xiitas que supostamente teriam participado da onda de protestos contra a monarquia sunita do país. A Justiça do país, um pequeno emirado vizinho da Arábia Saudita, condenou ainda outros três ativistas à prisão perpétua. Entre fevereiro e março, inspirados pelos acontecimentos na Tunísia e Egito, centenas de milhares de opositores que exigem reformas democráticas ocuparam a Praça da Pérola, no centro da capital Manama, mas foram duramente reprimidos. Segundo a promotoria, os manifestantes teriam assassinado quatro policiais durante os enfrentamentos. As sentenças foram as primeiras anunciadas pelo Bahrein contra opositores que saíram às ruas por reformas democráticas. Cerca de 80% da população do país é xiita, mas o Bahrein é governado por uma monarquia sunita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.