Corte militar israelense ordena libertação de 18 políticos do Hamas

Uma corte militar de Israel ordenou a libertação de 18 legisladores do Hamas nesta terça-feira, incluindo três ministros do gabinete palestino detidos após a captura de um soldado israelense por militantes ligados ao grupo islâmico em junho. Promotores israelense já entraram com um recurso contra a medida. A corte deve emitir uma decisão final até quinta-feira. Em sua sentença, o juiz militar que autorizou a libertação dos parlamentares palestinos questionou a data das prisões. Ele argumentou que depois de eleitos, os políticos puderam exercer seus cargos por meses antes de serem detidos. Segundo o magistrado, os legisladores poderão ser soltos sob fiança enquanto seus julgamentos correm na Justiça.Mas, devido a uma apelação contra a decisão, os políticos não poderão ser soltos antes das 16 horas desta quinta-feira (horário local).Por sua vez, líderes palestinos disseram que as prisões foram ilegais e demandaram a liberação dos parlamentares.O Hamas anunciou nesta segunda-feira que o governo de união nacional palestino não será estabelecido antes que Israel solte os políticos.O Exército israelense já havia sofrido uma derrota semelhante no começo desta semana, quando uma corte decidiu libertar outros três membros do Hamas. A decisão final sobre esse caso deve ser anunciada na quarta-feira. Os procedimentos legais desta terça focaram exclusivamente na legitimidade da manutenção dos parlamentares sob custódia das autoridades israelenses. Ainda assim, o juiz levantou questões sobre a prisão dos políticos do Hamas como um todo.Para a advogada ativista dos direitos humanos israelenses Leah Tzemel, não evidências paras as prisões. "Eu acho que eles (a corte) simplesmente não tem as evidências necessárias e este caso não deveria ter começado", disse ela.Sete políticos do Hamas participaram da sessão da corte nesta terça-feira. A maioria usava uniformes de prisioneiros e tinham seus pés algemados. "Nós não reconhecemos a autoridade desta corte. Somos legisladores eleitos. Nós fomos seqüestrados", gritou um dos políticos.Israel mantém sob sua custódia quatro membros do gabinete palestino liderado pelo Hamas. Outros 28 legisladores do partido também estão detidos em prisões israelenses, e quatro que haviam sido capturados já foram soltos. Entre os presos está o vice-primeiro-ministro palestino, Nasser Shaer.Texto atualizado às 20h22

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.