Corte nega extradição de dissidente bielo-ruso

A Suprema Corte do Equador negou ontem o pedido de extradição do bielo-russo Alexander Barankov, ex-militar e blogueiro a quem Quito concedeu o status de refugiado em 2010. Barankov, de 30 anos, era procurado pela Interpol e acusado em seu país de supostos crimes de fraude. Segundo seu advogado Fernando Lara, ele poderia ser condenado à morte se fosse extraditado. O bielo-russo era encarregado de investigar crimes fiscais e afirma ter encontrado evidências de corrupção envolvendo policiais e o governo do presidente Alexander Lukashenko.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.