Corte nega pedido de Polanski para arquivar processo

Advogados do cineasta alegavam que um magistrado envolvido no caso teve má-condura durante o processo

Associated Press e Agência Estado,

21 de dezembro de 2009 | 17h45

Uma corte de apelações da Califórnia, nos Estados Unidos, anunciou nesta segunda-feira, 21, ter rechaçado uma petição do cineasta franco-polonês Roman Polanski para que fosse retirado um processo por violação sexual movido contra ele. A Corte de Apelações do Segundo Distrito do Estado publicou nesta segunda o anúncio em sua página na internet. O comunicado não traz detalhes do parecer do tribunal.

Os advogados do cineasta, mantido em regime de prisão domiciliar na Suíça, argumentaram no início de dezembro que o caso deveria ser arquivado porque teria havido má conduta de um magistrado. Polanski foi preso na Suíça em setembro a pedido da Justiça norte-americana. Ele é acusado de ter mantido relações sexuais com uma garota de 13 anos na década de 1970.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASuíçaRoman PolanskiJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.