Corte palestina condena assassinos de ministro israelense

Um tribunal militar palestino, improvisado no quartel-general do líder Yasser Arafat, em Ramallah, condenou nesta quinta-feira, a penas que vão de um a 18 anos de prisão, quatro membros da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP) pela morte do ministro do Turismo israelense, Rejavam Zeevi. Os condenados são: Dasel Al-Asmar, a 12 anos de prisão, Majdi Erhimi e Hamdi Corán, a 18 anos, e Ahed Abu-Galme, chefe das Brigadas de Abu Ali Mustafal, braço armado da FPLP, foi sentenciado a um ano de prisão.A corte militar, presidida por Rifji Arafat e três membros oficiais das forças de segurança da Autoridade Nacional Palestina, divulgaram o resultado depois de três dias de julgamento. O governo israelense disse que manteria Yasser Arafat confinado em Ramallah até que os palestinos entregassem os assassinos do ministro Zeevitel, morto em outubro do ano passado em um hotel de Jerusalém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.