Corte sueca mantém mandado de prisão contra Assange

Uma corte da Suécia manteve nesta quarta-feira o mandado de prisão contra o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, reafirmando a base legal para que ele seja mantido na condição de procurado internacional. Assange está abrigado na embaixada do Equador em Londres há dois anos.

Agência Estado

16 de julho de 2014 | 17h13

Os advogados do fundador do Wikileaks afirmaram que vão apelar da decisão. Ele é acusado de abuso sexual e estupro contra duas mulheres que conheceu em uma visita à Suécia em 2010. Os promotores suecos não aceitaram interrogar o réu em Londres.

Mesmo se a Suécia arquivasse o caso, Assange continuaria sendo procurado por ter violado as condições de sua liberdade condicional quando fugiu e procurou abrigo na embaixada do Equador. A polícia mantém guarda em frente ao prédio desde então.

Em entrevista no mês passado, Assange disse que não considera prestar depoimento na corte sueca porque não tem garantias de que não seria extraditado aos Estados Unidos, onde ainda responde processo pelo vazamento de documentos sigilosos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SuéciaAssangeprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.