Cortes Islâmicas mantêm reféns americanos, afirma porta-voz

Um porta-voz da União das Cortes Islâmicas da Somália (UCI) afirmou nesta quarta-feira que seus combatentes capturaram vários militares americanos numa batalha no início deste mês.A fonte, que se identificou como Abu Muhsin, disse que os soldados estrangeiros, cujo número não foi revelado, foram aprisionados na região de Raskiamboni, no sul do país.O porta-voz acrescentou que houve uma tentativa dos americanos de libertar os reféns, mas a missão "fracassou"."A guerra já começou na Somália, e a ala insurgente das Cortes Islâmicas atacará ao inimigo em algum lugar do país", acrescentou Muhsin.Não foi possível verificar a informação com fontes independentes. O porta-voz, que não quis informar o local de onde falava, não deu detalhes sobre a data exata da captura nem de quando aconteceu a tentativa de libertação.A UCI, no site do Qaadisya, afirma que os soldados americanos "lançaram três diferentes ataques contra as forças islâmicas para libertar os prisioneiros de guerra da floresta de Raskiamboni, mas fracassaram. Durante as três ofensivas, usaram diferentes táticas de guerra, e também câmeras, mas tiveram que enfrentar os combatentes".As Cortes Islâmicas sustentam que estão em negociações com o governo dos EUA, através de intermediários. Mas disseram que não soltarão os "prisioneiros de guerra" se não houver contatos diretos.O mesmo site que deu a informação, confirmada pelo porta-voz, exibiu ontem um vídeo de combatentes mascarados e armados com fuzis e lança-granadas ameaçando atacar as tropas de paz que forem enviadas ao país.O vídeo foi enviado ao site por um grupo até agora desconhecido, o Movimento Público de Insurgência na Terra das Emigrações Sagradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.