Reuters
Reuters

Costa Cruzeiros pagará passagem e danos a passageiros de navio

Presidente da empresa enviou uma carta aos passageiros para defender a atuação da tripulação

Efe,

19 de janeiro de 2012 | 08h51

ROMA - A Costa Cruzeiros, proprietária do Costa Concordia, o navio que naufragou na última sexta-feira em frente à ilha italiana de Giglio, anunciou nesta quinta-feira, 19, que está entrando em contato com passageiros e associações de consumidores para "reembolsar a passagem e as demais despesas materiais".

 

Veja também:
som OUÇA: 
Capitão recebe ordens de voltar para o barco
blog RADAR GLOBAL: 'Volte a bordo, c...!' vira camiseta na Itália
tabela ESPECIAL: O naufrágio do Costa Concordia

O presidente e executivo-chefe da Costa Cruzeiros, Pier Luigi Foschi, enviou uma carta a todos os passageiros para defender a atuação da companhia e de sua tripulação.

Na nota da empresa italiana é informado que está contatando todos os passageiros para se certificar de que conseguiram retornar a suas casas, saber de seu estado de saúde e confirmar que abonará o custo do bilhete de embarque e as outras despesas materiais que tiveram devido ao acidente.

Além disso, a Costa Cruzeiros expressa seu pêsames pelas vítimas e sua solidariedade aos familiares dos até agora 11 mortos e acrescenta que "reafirmará seu empenho e dedicação constante à segurança e à relação com seus passageiros, que representam seu patrimônio mais importante em seus mais de 60 anos de trabalho".

"Aproximadamente 1,1 mil pessoas da Costa Cruzeiros no mundo todo estão trabalhando sem descanso desde a noite da sexta-feira na gestão deste terrível acidente, a fim de oferecer assistência aos passageiros e tripulantes para que possam se reunir com suas famílias em seus locais de residência" indica Foschi.

Na carta, o presidente da companhia não cita em nenhum momento o capitão do Costa Concordia, Francesco Schettino, mas lembra que "houve atos de heroísmo por parte de membros da tripulação, que antepuseram a salvação dos demais à própria".

Diante das críticas de alguns passageiros pela ausência de ajuda por parte da tripulação, Foschi indica que os funcionários "se comportaram de maneira admirável em uma situação de dificuldade extrema, conseguindo, nas terríveis condições em que se encontravam, evacuar mais de 4 mil pessoas no menor tempo possível".

Foschi afirma ainda que todos os membros da tripulação realizam um treinamento específico para lidar com as emergências e para dar assistência aos hóspedes em caso de abandono do navio.

Muitos dos passageiros do Costa Concordia denunciaram que não havia membros da tripulação indicando o que fazer ou descendo os botes de salvamento.

"A preparação da tripulação da Costa Cruzeiros é examinada periodicamente pela Guarda Litorânea e por organismos independentes, respeitando os requisitos especificados no sistema SMS (Safety Management System - sistema de gestão de salvamento)", acrescenta Foschi.  

Tudo o que sabemos sobre:
Costa ConcordianavioItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.