Costa do Marfim: "Não há guerra com a França"

O presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, soou conciliatório em meio ao devastador conflito envolvendo seu país e a antiga metrópole colonial, a França. "Não estamos em guerra coma França", disse Gbagbo às Associated Press na residência que, segundo assessores, não deixou desde que um ataque aéreo matou nove franceses e um americano no norte da Costa do Marfim, em 6 de novembro. Gbagbo rejeitou responsabilidade pelo ataque, dizendo que "um inquérito deve estabelecer a culpa... Se foram soldados marfinenses, serão punidos - porque não estamos em guerra com a França". O presidente rejeitou, porém, o embargo de armas imposto pela ONU ao país. "Uma nação como a Costa do Marfim... Não pode passar com um exército mal equipado", disse.Em retaliação à morte dos franceses, a França destruiu a Força Aérea da Costa do Marfim. A resposta francesa levou a uma onda de violentos protestos contra estrangeiros, e mais de 5.000 cidadãos de outros países já deixaram a Costa do Marfim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.