Costa do Marfim tenta governo de conciliação

O novo primeiro-ministro da Costa do Marfim, Seydou Diarra, recebeu oficialmente do presidente Laurent Gbagbo, a missão de formar um governo de reconciliação, que contemple ?todos os partidos políticos do país?, incluindo quatro grupos rebeldes.Diarra, ao final de uma reunião tensa de cinco horas com Gbagbo e chefes de Estado de países da África Ocidental, apresentou uma lista provisória de nomes e anunciou para breve o início de consultas com as partes.A formação do governo de conciliação está prevista no acordo, firmado sob o patrocínio da França, entre todos os grupos que disputam o poder na Costa do Marfim. Mas a possibilidade de que o pacto se cumpra é, por enquanto, improvável, por causa da ausência dos rebeldes que, desde uma tentativa de golpe de Estado em setembro de 2002, controlam o norte do país.O acordo de conciliação - assinado por três dos grupos rebeldes - prevê que os ministérios sejam distribuídos de forma equilibrada a todos os partidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.